Sagan: a ciência e a democracia

“A ciência é muito mais do que um corpo de conhecimento.
É uma forma de pensar.
Isso é central para o seu sucesso.

A ciência nos convida a ficar com os fatos, mesmo quando eles não estão em conformidade com nossos conceitos.

Carl SaganEla nos aconselha a levantar hipóteses alternativas em nossas cabeças e ver qual delas melhor corresponde aos fatos.

Ela nos exorta a um balanço entre uma abertura sem barreias a novas ideias, mesmo heréticas, e a investigação cética mais rigorosa de tudo – novas ideias e sabedoria estabelecida.

Nós precisamos de uma ampla valorização desse tipo de pensamento.
Ele funciona.
É uma ferramenta essencial para a democracia em uma era de mudanças.

Nossa tarefa é não apenas trainar mais cientistas mas também aprofundar uma compreensão pública da ciência.”

Carl Sagan

SAGAN, Carl. Why We Need To Understand Science in The Skeptical Inquirer. Volume 14, 3ª edição (Primavera de 1990).
Tradução: Maurício Sauerbronn de Moura

Carl Sagan e as crianças

“De vez em quando,
tenho a sorte de lecionar
num jardim-de-infância ou numa classe
do primeiro ano primário.

Muitas dessas crianças
são cientistas natos – embora
tenham mais desenvolvido
o lado da admiração
que o do ceticismo.

São curiosas,
intelectualmente vigorosas.
Perguntas provocadoras e perspicazes saem delas aos borbotões.
Demonstram enorme entusiasmo.
Sempre recebo uma série de perguntas encadeadas.
Elas nunca ouviram falar da noção de ‘perguntas imbecis’.”

Carl Sagan

Sagan, Carl. O Mundo Assombrado pelos Demônios – A Ciência vista como uma vela no escuro(The Demon-Haunted World). 1997. Capítulo 19.

Cosmos: uma nova odisseia no espaço-tempo

CosmosDurante a década de 1980, o astrofísico Carl Sagan revolucionou a divulgação científica com a série de TV Cosmos: uma viagem pessoal. A série foi um divisor de águas para mim e para grande parte da minha geração, despertando uma curiosidade científica que definiu o que sou hoje.

A série original era escrita pelo próprio Sagan, sua esposa Ann Druyan e Steven Soter e foi vista por 750 milhões de pessoas em 175 países. Ganhou três Prémios Emmy e um Peabody.

Quando Sagan morreu, em 1996, Ann procurou criar uma nova série, seguindo o apelo original de conquistar o maior público possível para conhecer a ciência. Para isso, procurou o “mais popular astrofísico do Universo”, Neil Degrasse Tyson.

Depois de mais de uma década tentando obter dinheiro para produzir a série, Ann, Steven e Neil conseguiram convencer o produtor Seth MacFarlane (criador de Family Guy) a abraçar o projeto, mas só em 2011 ele começou a ser produzido de fato.

Assista o primeiro episódio, Standing Up in the Milky Way, que foi ao ar ontem pela FOX dos EUA e pelo National Geographic Channel. Não esqueça de ligar as legendas.

Continuar lendo

Livros são sensacionais

Mais uma adaptação do Zen Pencils, desta vez uma frase do cosmólogo Carl Sagan. O texto tem origem em Cosmos (veja a série completa), série de TV que tornou Sagan um dos mais famosos divulgadores científicos do mundo.

Sagan foi um grande defensor do materialismo, do método científico e do pensamento crítico. Ele entendia que, para olhar o mundo criticamente, era necessário estudá-lo, compreendê-lo, conhecê-lo. Por isso sua defesa dos livros.

Pode-se dizer que os livros são a base fundamental do conhecimento. São o registro das coisas que a humanidade tem aprendido durante milênios. E não são apenas os livros técnicos ou científicos, mas também a ficção, que nos faz treinar nossa imaginação, exercitar nosso cérebro.

É por isso que todas as ditaduras, dos militares brasileiros ao nazismo, proibiram títulos, prenderam autores e leitores e destruíram livros. É por isso que todos os regimes teocráticos, da Inquisição católica aos Talebãs, fizeram o mesmo.

O conhecimento liberta. Um cérebro afiado e baseado no mundo real é um perigo para regimes ditatoriais e para todo tipo de obscurantismo.

Continuar lendo

Carl Sagan e sua totalmente armada nave espacial da imaginação

Carl Sagan foi um dos mais famosos divulgadores científicos da história. Cientista,  astrobiólogo, astrônomo, astrofísico, cosmólogo, Sagan escreveu mais de 600 publicações científicas, além de 20 livros científicos e de ficção. Carl Sagan foi um grande defensor do método científico, do pensamento cético, do materialismo, não só na Academia, mas no dia a dia, em cada decisão que tomamos.

Em 2011, o blog Ninjerktsu publicou este story board do que seria um filme onde Sagan, pilotando a Imaginação, caça a Astrologia (pilotada pelos signos), que reage com várias pseudociências (homeopatia e moto-perpétuo). Para derrotar as pseudociências, Sagan utiliza simplesmente o Método Científico!

Um trabalho genial do Ninjerktsu  (que diz ser artista de story boards na Dreamworks) que disponibilizo na esperança de que seja utilizado para ensinar as crianças sobre a ciência e o pensamento crítico.

Veja também outros conteúdos sobre Carl Sagan e mais sobre Pseudociências.

Continuar lendo

A arte refinada de detectar mentiras

Este é mais um texto clássico de The Demon-Haunted World (O Mundo Assombrado pelos Demônios – A Ciência vista como uma vela no escuro), de Carl Sagan.

Desta vez, Sagan analisa uma série de “dicas” para detectarmos que uma afirmação é uma mentira (ou pelo menos que tem grandes chances disso). Explica rapidamente algumas falácias (grandes indícios da má fé do interlocutor).

É um texto importante para qualquer pessoa que deseje realizar debates com seriedade em busca do conhecimento verdadeiro.

Veja outros textos de Carl Sagan.

Continuar lendo

Carl Sagan nos apresenta seu dragão de estimação

O texto a seguir é um clássico. Foi extraído do livo The Demon-Haunted World (O Mundo Assombrado pelos Demônios – A Ciência vista como uma vela no escuro), de Carl Sagan.

Este texto é bastante usado para tentar explicar o que os defensores do materialismo entendem como “refutabilidade” (ou falseabilidade), ou seja, a capacidade de prover uma experiência física que comprove que uma afirmação é falsa (ou não).

Com este texto, como com toda a sua vida e obra, Sagan explica e defende o materialismo e o ceticismo como métodos para buscar os fatos e analisar o mundo.

Veja outros textos de Carl Sagan.

Continuar lendo

Carl Sagan: a meritocracia e a imbecilização das crianças

Não me lembro quando o li pela primeira vez, já tinha mais de 30, mas há um livro que provavelmente foi um dos principais responsáveis por despertar em mim a compreensão de que era necessário propagandear o método científico, o materialismo.

Esse livro foi The Demon-Haunted World (O Mundo Assombrado pelos Demônios – A Ciência vista como uma vela no escuro), de Carl Sagan.

Já era fã incondicional de Sagan por conta da série Cosmos, que assistia avidamente e repetidamente (assista todos os episódios aqui), mas esse livro bateu mais fundo.

No livro, Sagan apresenta o método científico de uma forma simples, para fazê-lo ser compreendido por todos. O objetivo é propagandear a ciência, é convencer as pessoas comuns a pensarem de maneira materialista, científica, racional. Quer auxiliar as pessoas a não mais serem enganadas por superstições e pseudociências, pensando criticamente e questionando as novas e as velhas ideias.

É exatamente com o mesmo objetivo que criei este blog: a militância pelo materialismo.

O texto a seguir foi extraído desse livro. Nele, Sagan demonstra como as crianças passam de cientistas natos a adultos autômatos imbecilizados. Entende qual o papel da chamada “meritocracia” nesse processo, como a necessidade de ter seu “mérito” reconhecido faz com que os jovens passem a ter medo, ter pavor de errar. Assim, passam a preferir a certeza da mediocridade à insegurança da descoberta.

Sagan faz também uma crítica velada à política liberal e neoliberal que está destruindo a educação pública, em especial a educação científica, levando os EUA e o mundo de volta à Idade das Trevas.

Pálido Ponto Azul

Pálido Ponto Azul (Pale Blue Dot) é como ficou conhecida uma fotografia feita pela sonda Voyager 1 em 14 de fevereiro de 1990.

Quando havia completado sua missão de estudar o Sistema Solar, a sonda passou a tirar fotos dos planetas pelos quais havia passado. Essa foto mostra a Terra como um minúsculo ponto (cerca de 0,12 pixel) e foi feita quando a Voyeger estava a cerca de 6 bilhões de quilômetros de distância.

Em 1194, Carl Sagan, que participou da missao Voyager, escreveu um livro chamado Pálido Ponto Azul (Pale Blue Dot: A Vision of the Human Future in Space). Este vídeo é um trecho desse livro.

Assista e comente.

Continuar lendo

Sinfonia da Ciência

O Symphony of Science (Sinfonia da Ciência) é um projeto do músico estadunidense John D. Boswell (conhecido como melodysheep) que, segundo ele mesmo, “tem como objetivo trazer o conhecimento científico e filosófico para o público, de uma nova maneira, por meio da música”.

Usando técnicas de auto-tune, Boswell refaz a mixagem de vários vídeos e programas de TV com suas composições musicais próprias.

Os vídeos apresentam palestras ou programas de renomados cientistas, como Carl Sagan, Richard Feynman, Neil deGrasse Tyson, Bill Nye, e Stephen Hawking.

O resultado é surpreendente e bastante instrutivo. Já são 17 episódios.

Publico abaixo os episódios legendados pelo Canal do 123Calvario no Youtube:

Continuar lendo