A evolução humana “definitivamente não” acabou, diz especialista

Human-originsA evolução humana acabou? Essa é a questão que Briana Pobiner, uma antropóloga do Museu Nacional de História Natural Smithsonian, fez a uma audiência neste sábado, 17 de maio de 2014.

Os seres humanos estão evoluindo em um ritmo crescente, graças aos avanços da medicina e uma grande população, Pobiner diz na “Future Is Here”, uma conferência de dois dias comemorando o futuro dos seres humanos, do planeta, vida além da Terra e do espaço profundo, oferecida pelo Smithsonian Magazine. Só que, da mesma forma como os humanos estão evoluindo, seus parasitas também evoluem.

“Eu convido vocês a olharem dentro dos olhos de nossos antepassados”, diz Pobiner. “Por que a maioria dos ancestrais humanos foram extintos enquanto o homo sapiens sobreviveu? A resposta tem muito a ver com o cérebro humano”.

O cérebro humano representa apenas cerca de 2% do peso do corpo humano, mas consome 20% da sua energia. As maiores mudanças evolucionárias ocorreram no neocortex, a parte externa do cérebro que processa o pensamento abstrato, o planejamento de longo prazo, a empatia e a linguagem, disse Pobiner.

Como o cérebro humano continua a evoluir, os humanos eventualmente irão desenvolver cabeças gigantes e corpos esqueléticos, como mostrado nos filmes de ficção científica? Historicamente, o processo do nascimento limitou o tamanho do cérebro, porque a cabeça dos bebês precisam passar pelo canal do nascimento.

Briana Pobiner

Hoje, entretanto, cirurgias Cesarianas podem contornar esse processo. Pelo menos 46% dos bebês nascidos hoje na China vêm ao mundo por cirurgias Cesarianas, diz Pobiner. Com os avanços na fertilidade e um cuidado pós-natal melhor, ela pergunta, “nós estamos ferrando com a seleção natural?”

A população mundial está crescendo, e uma grande população também evolui rápido, diz Pobiner. Mas, com o aumento do nível do mar e menos terra disponível, doenças transmitidas pela água e pelo ar podem se espalhar mais facilmente, diz Pobiner.

O maior vírus já encontrado foi um vírus descongelado de permafrost, conhecido como Pithovirus. Mesmo que esse parasita não infecte humanos, o que aconteceria se fossem descongelados outros vírus ancestrais que sejam prejudiciais? Por exemplo, o vírus da varíola foi erradicado em 1979, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, mas alguns especialistas dizem que eles foram erradicados apenas da superfície da Terra, sobrevivendo em uma forma congelada.

E a evolução humana persiste em outras áreas também, como na seleção sexual. Um estudo recente descobriu que a barba se torna mais atraente quando ela é rara em uma população. Quando um “pico barba” é atingido, ela se torna menos atraente, segundo o estudo. Condições econômicas também influenciam a ausência de barba, como homens desempregados que podem usar barba como sinal de masculinidade, diz Pobiner.

Então a evolução humana acabou? “Definitivamente não”, diz Pobiner. “Enquanto houverem humanos, haverá evolução humana”.

Fonte: Human Evolution ‘Definitely Not’ Over, Expert Says – Live Science
Texto original: Tanya Lewis
Tradução: Maurício Sauerbronn de Moura
Anúncios

4 pensamentos sobre “A evolução humana “definitivamente não” acabou, diz especialista

  1. Há dois errinhos no texto:

    “doenças transmitidas pela égua”
    Você quis dizer Água?

    “A maior vírus já encontrado era um vírus descongelado”
    Acho que o correto seria “O maior vírus…”

    Curtido por 1 pessoa

  2. pior é a afirmação final de que “enquanto HOUVEREM humanos”… ai, Jesuis!
    E quanto ao artigo, não só acho que a evolução (se é que ela existiu nos termos conhecidos) já acabou, como o que há de fato é uma INvolução… a humanidade só evoluiu em termos de conhecimento acumulado… já o ser humano é o mesminho de sempre… ou pior…

    Curtir

    • lisieux,

      Talvez não tenha compreendido o contexto com o qual trabalha Briana Pobiner. Em 1859 foi publicado um livro chamado Sobre a Origem das Espécies por Meio da Selecção Natural ou a Preservação de Raças Favorecidas na Luta pela Vida, escrito pelo naturalista britânico Charles Darwin. Esse livro apresenta o que ficou conhecido como Teoria da Evolução.

      Segundo essa teoria, depois atualizada a partir da descoberta dos genes, todos os seres vivos sofrem mutações constantemente. Algumas dessas mutações impedem a sobrevivência ou a reprodução do indivíduo mutante. Outras não, e aí a mutação prospera e passa a outras gerações.

      Assim, não existe o conceito de “involução” na Teoria da Evolução. Toda mutação que sobrevive ao ambiente é uma evolução.

      Veja que o próprio registro histórico já discorda da sua ideia de que “o ser humano é o mesminho”. Não? A sobrevivência de indivíduos sem os dentes do ciso, por exemplo, ou sem o músculo eretor dos pelos. As várias trissomias e monossomias também são evidências palpáveis da mutação.

      Aqui no site mesmo você pode encontrar vários textos e vídeos que explicam melhor como funciona a Teoria da Evolução. Veja aqui o conteúdo classificado com esse tema.

      Tenho certeza que a compreensão de tal teoria abrirá novas portas para você.

      Obrigado por acompanhar o Livre Pensamento.

      Curtir

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s