Sobre o Livre Pensamento

A flor conhecida como amor perfeito (viola x wittrockiana) é símbolo do livre pensamento.

O Livre Pensamento é a visão de que as opiniões devem sempre ser baseadas nos fatos, na razão e na lógica e não em autoridade, tradição ou dogmas.

O Livre Pensador nega a lógica falaciosa, nega as verdades absolutas, nega todo o autoritarismo, o tradicionalismo, o sectarismo e o preconceito. Ele conhece as limitações de sua percepção e coloca a prova suas opiniões em toda oportunidade que se apresenta. O Livre Pensador reflete, critica, observa, põe à prova.

O Livre Pensamento é, acima de tudo, o pensamento materialista, ou seja, é o entendimento que as análises e opiniões devem partir da realidade, da matéria. O entendimento que todos os fenômenos são materiais e tem raízes materiais.

O termo tem sido usurpado por várias correntes de pensamento, que tentam transformar o Livre Pensamento em um passaporte para a irresponsabilidade intelectual, ou seja, usam o termo para tentar justificar opiniões aleatórias sem base na realidade dizendo “eu sou livre pra pensar o que quiser”.

Este sítio tem o objetivo de ser uma contribuição para o verdadeiro Livre Pensamento, o Materialismo Militante, a propagação do pensamento científico, cético e objetivo, baseado na realidade e na razão.

Por isso coloca como central a luta pela laicidade do Estado, ou seja, a luta para que o Estado não tenha paixão religiosa, não se guie por dogmas ou tradições, mas pela necessidade do povo. Um Estado que respeite as manifestações culturais e os direitos de seu povo e que atenda suas reivindicações.

“Não é apenas nas casas dos camponeses, mas também nos arranha-céus das cidades, que o século XIII vive ao lado do XX. Cem milhões de pessoas usam a eletricidade e ainda acreditam nos poderes mágicos de sinais e exorcismos. As estrelas de cinema procuram médiuns. Os aviadores que pilotam mecanismos milagrosos criados pelo gênio do homem usam amuletos em seus suéteres. Como são inesgotáveis as suas reservas de trevas, ignorância e selvageria!” Leon Trotsky (citado por Carl Sagan em O Mundo Assombrado por Demônios)

Leia também:

Anúncios