Dan Dennett: fofo, sensual, doce, engraçado

Neste vídeo para o TED, o filósofo Dan Dennet analisa alguns aspectos da evolução das espécies e como o senso comum entende esses aspectos de forma errada.

Essa análise se baseia no sistema de recompensas do cérebro e no motivo pelo qual “achamos” que o mel (ou um bolo de chocolate) é doce,  uma garota é sensual ou um bebê é “fofo”.

Por fim, discorre sobre uma teoria de Matthew Hurley sobre o motivo de acharmos graça (ou não) nas coisas.

Veja outros conteúdos com Dan Dennet, sobre evolução e outras palestras do TED.

Continuar lendo

Anúncios

Dan Dennett: A ilusão de consciência

Daniel Clement Dennett, ou Dan Dennet, é um filósofo estadunidense, estudioso da filosofia da mente e da biologia.

Trago mais uma vez a opinião dele, desta vez em uma palestra para o TED (Technology, Entertainment, Design).

Nesta palestra, através de uma série de experimentos, Dennet demonstra que as coisas que cremos ver ou sentir nem sempre são o que realmente acontece. Nossa percepção é falha e por isso não devemos ter muita fé naquilo que só a gente vê. É preciso sempre a opinião de pessoas não ligadas ao evento. Para isso serve a ciência!

Continuar lendo

Daniel Dennett: Fé na Verdade

Mais uma vez trago a opinião do filósofo Daniel Dennett. Desta vez em um artigo para a Oxford Amnesty Lectures, exposto por Dennett em Oxford em janeiro de 1997.

Assita ainda ao vídeo Como a religião oferece uma desculpa para parar de pensar, também com Dennett.

Porantim

Continuar lendo

Como a religião oferece uma desculpa para parar de pensar

O filósofo Daniel Dennett, estudioso da filosofia da mente e da biologia, fala sobre a honestidade intelectual, o livre pensamento e sua relação com a fé e os religiosos. O vídeo é um trecho legendado de uma entrevista no talk show Charlie Rose para o jornalista Bill Moyers.

Dennet é autor dos livros A perigosa ideia de Darwin (Darwin’s Dangerous Idea), em que analisa o impacto da Teoria da Evolução das Espécias, de Darwin, no pensamento filosófico ocidental, e Breaking the Spell: Religion as a Natural Phenomenon (Quebrando o encanto: a religião como fenômeno natural), em que faz uma análise científica do fenômeno religioso.

É também um dos autores (junto de Linda LaScola) do artigo Preachers Who Are Not Believers (Pregadores que não são crentes), publicado em março de 2010 na revista estadunidense Evolutionary Psichology. O artigo apresenta o resultado de uma série de entrevistas de campo com homens e mulheres que, mesmo após anos de vida dedicada às suas igrejas, perderam a fé, mas não abandonaram o púlpito.

Continuar lendo