Qual a origem da raiz quadrada?

Tenho visto um monte de gente comprando a historinha esdrúxula de que “raiz quadrada” seria uma tradução errada de radix quadratum. Pros autores da “pérola”, radix quer dizer lado, não raiz. A ideia teria sua lógica, não fosse baseada em pressupostos falsos.

Radix em latim quer dizer base, fundamento, origem, raiz. É dela que derivam as palavras radical (relativo à raiz), radicar e arraigar (enraizar, criar raízes). Lado em latim é latus, de onde deriva a própria palavra lado, como também (através de lateralis) lateral e colateral.

Continuar lendo

Anúncios

Golpe sufoca a pesquisa científica

Falta de recursos leva à perda de estudantes pesquisadores

Washington Alves *

O governo golpista vem contingenciando verbas para pesquisa e inovação cientifica no país. Seja indiretamente, ao abandonar os estados em situação difícil, ou diretamente, quando retém recursos das Universidades Federais e Fundos de Pesquisa Nacionais. Um caso é a UERJ, que respira por aparelhos sem pagar, até hoje, o décimo terceiro de seus funcionários.

Continuar lendo

O processo seletivo para o mestrado, doutorado e de bolsas são honestos?

* Cristiano Junta

Muito já conversei com colegas pós-graduandos de diversas universidades sobre a “honestidade”, ou se preferirem a “lisura”, dos processos de seleção para os cursos de mestrado e doutorado (e ordenamento para concessão de bolsas) nos programas de pós-graduação no Brasil.  Pululam em várias dessas conversas suspeitas sobre a lisura desses processos. Então, penso que cabe a pergunta: são honestos esses processos de seleção? Confira a discussão sobre essa questão perturbante, a partir de alguns fatos recentes, neste artigo.

Continuar lendo

Manifesto Ciência Pela Democracia

Nós pesquisadores, professores, pós-doutorandos, doutores, mestres, estudantes de graduação e pósgraduação e cidadãos não reconhecemos o governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) e repudiamos a decisão autoritária da fusão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com o Ministério das Comunicações.

Continuar lendo

O que é a Cultura do Estupro?

Com ascensão do conservadorismo no mundo nos últimos tempos e os recentes casos de estupro coletivo que ganharam publicidade nos últimos dias, o termo “cultura do estupro” se popularizou.

O termo Cultura do Estupro começou a ser usado nos EUA a partir dos anos 1960 para se referir às várias características culturais daquele país que, mesmo que de forma não declarada, buscam trivializar, ignorar ou até incentivar a violência sexual. Os estudos sobre esse conceito são usados, inclusive, para descrever e explicar comportamentos nesse sentido em grupos, como prisões, ou para explicar tal comportamento bastante comum em zonas de conflito.

Neste vídeo, produzido pela revista Superinteressante, eles explicam em apenas dois minutos algumas das características que constroem tal comportamento arraigado em várias sociedades.

Continuar lendo

Pesquisadores criticam ensino ‘decoreba’ de ciências nas escolas do país

Academia brasileira, que completa 100 anos, sugere substituir memorização pelo raciocínio

Renato Grandelle

Poucas coisas apavoram tanto um adolescente quanto assistir ao professor desenhando uma fórmula científica num quadro negro. É um ensino difícil, tedioso e ultrapassado. Essas ideias são de um grupo de trabalho da Academia Brasileira de Ciências (ABC), que, durante as comemorações de seu centenário, revelou ao GLOBO como começou a avaliar maneiras para tornar as aulas mais atrativas, substituindo a memorização pelo raciocínio. A equipe, capitaneada pelo físico Luiz Davidovich, aponta problemas na formação do corpo docente atual e critica a falta de investimentos na educação infantil. Suas propostas para a criação de um novo método de estudos devem ser concluídas no segundo semestre.

Continuar lendo

ABCérebro: uma TV para aprender neurociência

No ar desde 2013, o ABCérebro é um programa de TV para divulgação de conhecimento científico sobre o cérebro humano criado pelo Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) Instituto de Pesquisa sobre Neurociências e Neurotecnologia (Brainn na sigla em inglês) e pelo programa Cooperação Interinstitucional de Apoio à Pesquisa sobre Cérebro (CInAPCe) ‒ os caras são criativos pra siglas ‒ sob coordenação do Dr. Li Li Min, professor do Departamento de Neurologia da Universidade Estadual de Campinas.

Continuar lendo