Um manifesto pela ciência reprodutível

* Marcus R. Munafò, Brian A. Nosek, Dorothy V. M. Bishop,
Katherine S. Button, Christopher D. Chambers, Nathalie Percie du Sert,
Uri Simonsohn, Eric-Jan Wagenmakers, Jennifer J. Ware & John P. A. Ioannidis

Melhorar a confiabilidade e a eficiência da pesquisa científica aumentará a credibilidade da literatura científica publicada e acelerará descobertas. Aqui nós defendemos a adoção de medidas para otimizar os elementos chave do processo científico: métodos, relatório e divulgação, reprodutibilidade, avaliação e incentivos. Há evidências tanto de simulações quanto de estudos empíricos que suportam a efetividade dessas medidas, mas sua ampla adoção por pesquisadores, instituições, financiadores e publicações exigirá avaliação e melhorias iterativas. Nós discutimos os objetivos dessas medidas, e como elas podem ser implementadas, na esperança de que isso vá facilitar ações que aumentem a transparência, reprodutibilidade e eficiência da pesquisa científica.

Continuar lendo

Anúncios

Temer e o golpe contra a ciência

A revista de divulgação científica mais respeitada do mundo, a Nature, acaba de publicar um artigo onde destaca o horror da comunidade científica com a destruição total promovida pelo regime Temer.

Desde o momento em que sentou na cadeira presidencial, Temer promoveu uma política de terra arrasada com a pesquisa científica, a educação e a cultura brasileira. Fechou o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, fechou o Ministério da Cultura, aprovou reformas espúrias na educação, acabou com o Ciência Sem Fronteiras, está matando de inanição as Olimpíadas de Matemática, sinaliza a privatização da educação, encarece o financiamento estudantil… Os ataques são vários.

Na Nature o destaque está no corte de quase metade do orçamento de pesquisa científica promovida por esse regime de uma vez só (fora o que já tinha cortado antes), deixando a área com o pior orçamento em mais de uma década.

Veja a matéria da Nature:

Continuar lendo

O pós-modernismo despido

* Richard Dawkins

Suponha que você é um impostor intelectual com nada a dizer, mas com fortes ambições de ter sucesso na vida acadêmica, reunir um círculo de discípulos reverentes e ter estudantes ao redor do mundo ungindo suas páginas com um respeitoso marcador amarelo. Qual tipo de estilo literário você cultivaria? Não um lúcido, claro, já que a clareza poderia expor sua falta de conteúdo. As chances são de você ter algo como isso:

Continuar lendo