Relato anedótico versus relato estatístico

Um ótimo texto do Homero Ottoni sobre a diferença entre a experiência pessoal e a experiência científica. Recomendo fortemente.

Homero Ottoni

Relato-AnedóticoUm dos aspectos mais difíceis de ser compreendido pelo homem comum quanto ao rigor exigido pelo método científico e pela ciência para validar um conhecimento, fenômeno ou alegação, é a questão do relato anedótico, pessoal, a experiência pessoal como elemento de convicção e conclusão.

Quando textos são apresentados na Internet para explicar porque a ciência não reconhece uma pseudociência, uma alegação extraordinária ou um tratamento alternativo, dezenas de comentários contrariados são enviados. Uma grande maioria usa casos pessoais como “prova” de que o texto está enganado, que “aquilo” funciona sim, que tem certeza disto, que o autor está “comprado pelas indústrias de medicamentos”, etc.

“Relato anedótico é um relato, evento ou alegação única, singular, pessoal”

Variações são apresentadas, como “é uma questão de livre escolha”, ou – um exemplo tirado da homeopatia – “funcionou até para meu cachorro, como pode não ser real?”

Ver o post original 3.093 mais palavras

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s