Ensinando Ciência com Arte


Ficha técnica:
Concepção, direção e roteiro

Prof. Leopoldo de Meis (Instituto de Bioquímica Médica, UFRJ)

Arte e animação

Alexandro Machado. Aurélio Corrêa, Bruno Matos Vieira, Christopher Hieatt, Diucênio Rangel, Luís Dourado, Nuria Cirauque (Instituto de Bioquímica Médica, UFRJ).

Vozes

Diucênio Rangel: Leonardo da Vinci, Roger Bacon
Márcio Buffolo: Lagrange.
Pedro Lagerblad: Lavoisier
Leopoldo de Meis: Papa

Trilha sonora original

Eduardo Camenietzki: criação e produção
Leonardo Fuks: criação e produção
Felipe Freire: produtor musical
José C. e Silva: produtor musical

Patrocínio: FAPERJ, FINEP, CAPES, CNPQ

DVD Ensinando Ciência com Arte – Vol. 3
Luz, Trevas e o Método Científico
Guerreiros Valentes do Impensável
Autor: Leopoldo de Meis
Instituto de Bioquímica Médica – UFRJ
Ano de lançamento: 2010
Anúncios

2 pensamentos sobre “Ensinando Ciência com Arte

  1. Gostei muito do espaço de veiculação de temas interessantes e desapegados de princípios reducionistas como aqueles propagados pelas religiões. O mundo global, que transmite a ideia de que todos os pensamentos são universais tem, em verdade, sido dominado de forma efervescente pelos sistemas e conceitos tribais, na sua maioria essencialistas e, logo, reducionistas. Dessa forma, um espaço como este é mesmo um oásis para discussões menos superficiais. Devo dizer, não gostei, no entanto, de sua ênfase na renúncia da religião. Parece-me no mínimo contraditório um grupo que se intitula “livre pensamento”, negar alguma coisa, estabelecer uma doutrina. Fica me parecendo mais uma fé sublimada no pensamento científico. Não sou religioso e, na minha saúde, na minha potência de homem adulto e que paga as contas, acredito que não me faça falta a religião. Mas é fato que as pessoas não são iguais a mim e não as considero inferiores ou ignorantes por serem diferentes, acreditarem no que sou descrente. Para o LIVRE PENSAMENTO científico, os debates devem ser válidos, o que não pode ter valor é negação doutrinária de qualquer ideia.

    Curtir

    • Olá, Edielson.

      Obrigado por sua crítica.

      O Livre Pensamento não é um termo genérico. É uma linha filosófica que é pautada pela defesa de que as opiniões, as análises, devem ser baseadas em fatos, na razão e na lógica. Todo pensamento deve ser completamente livre das autoridades impostas, das tradições e dogmas.

      Exatamente por isso, por princípio, o Livre Pensamento é anticlerical, antireligioso, antimilitarista e anticapitalista, já que nega tanto a autoridade imposta pelas armas quanto por seres “superiores”. Nega qualquer forma de opressão do corpo ou do pensamento.

      Mas perceba: a luta do Livre Pensador não é para que você não professe sua religião, mas que você tenha toda a liberdade de professá-la sem a interferência de ninguém. Ao mesmo tempo, luta para que o religioso compreenda que sua visão do mundo não pode se submeter a essa fé, mas à análise objetiva e racional.

      Por favor, leia:

      Saudações

      Curtir

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s