A coisa que mais me espanta no Universo

O Zen Pencils, é um site que faz adaptações de frases de pessoas famosas para os quadrinhos. Dessa vez, o homenageado é o “mais popular astrofísico do Universo”, Neil DeGrasse Tyson.

Eu sou fã assumido do DeGrasse (veja outros posts sobre ele) e já até publiquei esse mesmo texto aqui (só que como vídeo e com uma tradução diferente).

Esse texto tem origem em uma entrevista concedida por DeGrasse à revista TIME. Ao ser perguntado sobre qual seria, para ele, o fato mais impressionante do Universo, foi isso que ele disse.

Continuar lendo

Anúncios

Bem vindo à ciência!

Phil Plait é um astrônomo estadunidense. Cético, foi presidente da James Randi Educational Foundation. Escreve livros e blogs de divulgação científica e é figura frequente em documentários científicos.

Nos anos 90, Phil foi responsável pelo site Badastronomy.com com o intuito de clarificar equívocos do público sobre astronomia, principalmente os erros popularizados pelo cinema, imprensa e Internet. O site também foi um marco no combate à pseudociência. Em 2005 o site virou um blog, ainda mantido por Phil.

Em abril de 2005, Phil foi convidado a falar para um grupo de estudantes que estavam participando de uma feira de ciências. Ele não sabia o que iria dizer até a noite anterior, quando viu uma reportagem no noticiário que com uma teoria estapafúrdia pseudocientífica qualquer. Ele ficou tão furioso que escreveu o discurso prontamente.

Phil é um grande apoiador do Zen Pencils, um site dedicado a adaptar para os quadrinhos citações de pessoas famosas. Esta é a forma como o Zen Pencils agradeceu esse apoio.

Continuar lendo

Neil deGrasse e Neil Gaiman: a ciência e o “Deus das Lacunas”

Neil deGrasse e Neil GaimanEste vídeo é um trecho do evento Vision & Brilliance, do The Connecticut Forum. Esse evento junta especialistas em diferentes áreas para como “um tempo para imaginar e pensar sobre tecnologia, ciência, design e o futuro”.

Neste encontro, moderado pelo apresentador do programa radiofônico Where We Live, John Dankosky, foram convidados Neil deGrasse Tyson, Neil Gaiman e Neri Oxman.

Neil DeGrasse Tyson é figura sempre presente aqui. “O mais popular astrofísico do Universo”, é um cientista constantemente entrevistado em vários programas. Já se tornou parte da cultura popular. Virou até meme!

Neil Gaiman é uma figura da cultura pop e dos quadrinhos. Autor de Sandman, Stardust e Deuses Americanos, Gaiman é, além de um grande autor, um pesquisador das religiões.

Neri Oxman, que só aparece neste trecho, mas não fala, é designer com grande interesse em materiais e formas da natureza. É diretora do MIT Media Lab e é fundadora do laboratório de desing MaterialEcology.

Neste vídeo, deGrasse e Gaiman discorrem sobre o limite entre a ciência e a religião e sobre o argumento que tenta justificar a existência do divino a partir daquilo que não conhecemos “ainda”.

Veja também o texto de Michael Shermer: Como a crença em extraterrestres e no Design Inteligente são similares.

Continuar lendo

Do Big Bang ao Universo Eterno

A ciência não tem verdades absolutas. Essa é uma máxima muitas vezes esquecida tanto pelos defensores do método científico quanto pelos dogmáticos e religiosos anti-científicos.

A teoria do Big Bang, embora dominante tanto na cosmologia quanto no imaginário popular, não é a única teoria científica para o Universo. Há alguns meses publiquei aqui um texto do físico de plasmas  Eric J. Lerner, autor do livro O Big Bang Nunca Ocorreu. Desta vez publico um trecho do livro Do Big Bang ao Universo Eterno, do físico brasileiro Mário Novello.

Novello é doutor em Física pela Universidade de Genebra, doutor Honoris Causa pela Universidade de Lyon, Professor Emérito do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. Foi criador do grupo de Cosmologia e Gravitação no CBPF (1976) e do  Instituto de Cosmologia Relatividade e Astrofísica (2003).

Neste livro, Novello expõe de maneira simples um apanhado de modelos cosmológicos, inclusive do Big Bang, enquanto desenvolve os conceitos da Teoria da Relatividade, de Einstein. O trecho escolhido é o prólogo do livro.

Continuar lendo

Deus criou o Universo?

Curiosity é um programa do Discovery Channel. O objetivo do programa é responder “as questões mais desafiadoras da vida”.

Cada episódio escolhe uma pergunta e busca as respostas para ela, revelando os desdobramentos e as novas perguntas que surgem pelo caminho.

O vídeo a seguir é o primeiro episódio da primeira temporada do programa, que foi ao ar em 7 de agosto de 2011. Nele, Stephen Hawking analisa a existência de deuses a partir das evidências conhecidas. Para ele, o que (ou quem) criou o Universo é a questão mais fundamental da humanidade.

Hawking é um físico e cosmólogo britânico, diretor de pesquisa do Departamento de Matemática Aplicada e Física Teórica e fundador do Centro de Cosmologia Teórica da Universidade de Cambridge.

Continuar lendo

O design inteligente e os aliens ancestrais: mais do mesmo deus das lacunas

Os deuses eram astronautas? O mundo foi criado por um deus onipotente e esquizofrênico (é um só, mas tem múltiplas personalidades)? O universo foi criado pelo Monstro de Espaguete Voador começando por uma montanha, árvores e um anão?

Todas as teorias contemporâneas de intervenção divina começam a partir do mesmo ponto: as lacunas. Todas essas teorias partem daquilo que a ciência ainda não conhece para conceber teorias fantásticas sem qualquer evidência. É o que se chama de argumentum ad ignorantiam (argumento da ignorância). Para eles, se a ciência não pode provar uma coisa, então sua teoria fantástica e mágica “com certeza” está certa.

No texto a seguir, Michael Shermer analisa essa estreita correlação entre os deuses aliens e os aliens deuses. Shermer é psicólogo e historiador da ciência, fundador da revista Skeptic (cético) e colunista da revista Scientific American.

Continuar lendo

Stephen Hawkins sobre Deus

“O que eu fiz foi demonstrar que é possível determinar pelas leis da Ciência
o modo como o Universo começou.
Neste caso, não é necessário apelar a Deus para explicar como começou o Universo.
Se isto não prova que Deus não existe,
pelo menos prova que
Deus não é necessário para nada”

Stephen Hawkins