Um poema em defesa da razão, contra o hype “alternativo”

Quem nunca se pegou tentando argumentar a sério com alguém que acaba por defender fadas, duendes, energia da alma, anjos, teorias da conspiração e todo esse obscurantismo hype da “Nova Era”?

Com a desculpa de combater o mainstream religioso, eles defendem qualquer tipo de dogma alienante, desde que tenha um rótulo de “alternativo”. Evidências são meros detalhes. O mundo real é considerado um “limitante”. A ciência é tida como um ser pensante, uma entidade mágica que se vendeu às conspirações.

Empostação de mãos, “alinhamento” da alma e a posição dos astros são tidos como os mais poderosos remédios.

Efeitos maléficos hediondos são atribuídos às vacinas e a qualquer avanço científico.

Tim Minchin – ator, humorista e músico australiano – nos apresenta seu poema beat (grupo de artistas dos EUA nos anos 50 que deu origem ao beatnik e ao hippie), sobre uma dessas conversas. Um bem humorado filme de animação lançado em 2011.

Não há diferença entre impedir uma criança de receber uma transfusão de sangue ou tentar curá-la a partir do alinhamento do seu Qi (“energia da vida”). Ambas se baseiam em dogmas e tem por objetivo prejudicar e colocar em risco a vida de uma criança.

É claro que não há nada de alternativo nessas coisas. É mainstream, é hype, é moda, é indústria, dá lucro (e tem como objetivo o lucro). Só tem uma roupagem diferente.

Todo dogmatismo, seja pseudocientífico ou religioso, que nega a realidade é nocivo à toda a espécie humana. É disso que se trata.

Continuar lendo

Medicina alternativa não é medicina. Nem alternativa.

Penn & Teller (Penn Jillette e Raymond Joseph Teller) são uma dupla de ilusionistas e comediantes estadunidenses. Sendo capazes de reproduzir qualquer coisa fantástica utilizando o ilusionismo, ficaram famosos por expor charlatães, demonstrando que curas espirituais, tratamentos “alternativos” e “tradicionais”, aparições fantasmagóricas, abdução por alienígenas, teorias da conspiração e todos esses relatos fantásticos, não passam de pseudociência, má fé e charlatanismo (talvez alguma dose de esquizofrenia).

Além de shows, a dupla tem um programa de televisão chamado Bullshit! (Besteira!), que os tornou conhecidos no Brasil.

Neste episódio de Bullshit!, a dupla investiga três das chamadas “medicinas alternativas”: Reflexologia, Magnetoterapia e a Quiropatia, demonstrando que são práticas baseadas unicamente na sugestão, mas que podem ser extremamente perigosas à saúde e até à vida das pessoas.

Continuar lendo

A ciência precisa combater a pseudociência: uma declaração de 32 cientistas e filósofos russos

Representantes de várias ciências e disciplinas – astrônomos, fisicistas, químicos, biólogos, filósofos, advogados, psicólogos – estão preocupados com o crescimento generalizado da astrologia, medicina alternativa, quiromancia, numerologia e pseudociências místicas na Russia e outros países do mundo. Nós queremos chamar a atenção do público para a ameaça  de uma atitude acrítica frente às profecias e conselhos dos modernos “praticantes da ciências ocultas”, oferecidas tanto privativamente quanto nos meios de comunicação de massa. Aqueles que acreditam na dependência da fé humana nos corpos celestes, substâncias mágicas ou bruxaria precisam entender que a ciência não pode dar suporte a essas crenças de forma alguma.

Continuar lendo

Teorias da conspiração: por que as pessoas continuam acreditando em histórias estúpidas?

Comunicação com extraterrestres encobertas pelos governos, Iluminattis, revolução gramsciana, Nova Ordem Mundial, 11 de setembro, Atlântida… Há dezenas de exemplos de teorias da conspiração propagadas tanto pelo senso comum quanto por uma autoproclamada “elite intelectual”, como blogueiros da Veja e lideranças conservadoras e reacionárias, como a TFP, o Pe. Paulo Ricardo e Olavo de Carvalho.

O ex-astrólogo e pseudofilósofo Olavo de Carvalho é um grande exemplo desse fenômeno. Tido como “erudito” pelos conservadores brasileiros (apesar de morar nos EUA), esse senhor defende que está em curso um projeto de dominação do mundo (a Nova Ordem Mundial) que se divide em três “frentes”: a islâmica, a metacapitalista e a russo-chinesa. Disso, ele conclui que o ex-presidente Bill Clinton era um agente comunista que trabalhava sob ordens do governo da China. Afirma também que Barack Obama é a personificação desse projeto, transitando nas três frentes. Obama teria falsificado sua certidão de nascimento do Quênia e, na verdade, seria islâmico e agente comunista, sob ordens das grandes corporações comandadas pelo especulador George Soros. Para ele, o grande alvo desse mega projeto é a destruição do “modo de vida ocidental” e do cristianismo.

Isso só pra citar uma de suas “verdades”.

Provas? Ora, como pseudocientista, ele afirma que esses Iluminatti são oniscientes, onipresentes e onipotentes e tem a capacidade de sumir com todas as provas.

O que assusta mais é que várias ditas “personalidades” seguem esse fanatismo conspiratório, como o blogueiro reacionário Reinaldo Azevedo, o músico Lobão, o padre Paulo Ricardo… A lista é extensa.

Um artigo produzido por dois psicólogos da Universidade de Kent e publicado na revista Social Psychological and Personality Science tenta analisar esse fenômeno. Como pessoas que aparentam bom senso podem se entregar a teorias sem nenhuma evidência, sem nenhum contato com a realidade. No texto a seguir, o psicólogo e historiador da ciência  analisa esse estudo.

Continuar lendo

Bem vindo à ciência!

Phil Plait é um astrônomo estadunidense. Cético, foi presidente da James Randi Educational Foundation. Escreve livros e blogs de divulgação científica e é figura frequente em documentários científicos.

Nos anos 90, Phil foi responsável pelo site Badastronomy.com com o intuito de clarificar equívocos do público sobre astronomia, principalmente os erros popularizados pelo cinema, imprensa e Internet. O site também foi um marco no combate à pseudociência. Em 2005 o site virou um blog, ainda mantido por Phil.

Em abril de 2005, Phil foi convidado a falar para um grupo de estudantes que estavam participando de uma feira de ciências. Ele não sabia o que iria dizer até a noite anterior, quando viu uma reportagem no noticiário que com uma teoria estapafúrdia pseudocientífica qualquer. Ele ficou tão furioso que escreveu o discurso prontamente.

Phil é um grande apoiador do Zen Pencils, um site dedicado a adaptar para os quadrinhos citações de pessoas famosas. Esta é a forma como o Zen Pencils agradeceu esse apoio.

Continuar lendo

Carl Sagan e sua totalmente armada nave espacial da imaginação

Carl Sagan foi um dos mais famosos divulgadores científicos da história. Cientista,  astrobiólogo, astrônomo, astrofísico, cosmólogo, Sagan escreveu mais de 600 publicações científicas, além de 20 livros científicos e de ficção. Carl Sagan foi um grande defensor do método científico, do pensamento cético, do materialismo, não só na Academia, mas no dia a dia, em cada decisão que tomamos.

Em 2011, o blog Ninjerktsu publicou este story board do que seria um filme onde Sagan, pilotando a Imaginação, caça a Astrologia (pilotada pelos signos), que reage com várias pseudociências (homeopatia e moto-perpétuo). Para derrotar as pseudociências, Sagan utiliza simplesmente o Método Científico!

Um trabalho genial do Ninjerktsu  (que diz ser artista de story boards na Dreamworks) que disponibilizo na esperança de que seja utilizado para ensinar as crianças sobre a ciência e o pensamento crítico.

Veja também outros conteúdos sobre Carl Sagan e mais sobre Pseudociências.

Continuar lendo

O design inteligente e os aliens ancestrais: mais do mesmo deus das lacunas

Os deuses eram astronautas? O mundo foi criado por um deus onipotente e esquizofrênico (é um só, mas tem múltiplas personalidades)? O universo foi criado pelo Monstro de Espaguete Voador começando por uma montanha, árvores e um anão?

Todas as teorias contemporâneas de intervenção divina começam a partir do mesmo ponto: as lacunas. Todas essas teorias partem daquilo que a ciência ainda não conhece para conceber teorias fantásticas sem qualquer evidência. É o que se chama de argumentum ad ignorantiam (argumento da ignorância). Para eles, se a ciência não pode provar uma coisa, então sua teoria fantástica e mágica “com certeza” está certa.

No texto a seguir, Michael Shermer analisa essa estreita correlação entre os deuses aliens e os aliens deuses. Shermer é psicólogo e historiador da ciência, fundador da revista Skeptic (cético) e colunista da revista Scientific American.

Continuar lendo

Ontopsicologia: a pseudociência unindo o charlatanismo ao capitalismo selvagem

Em 2003 foi produzido o livro Método Científico & Fronteiras do Conhecimento, um trabalho conjunto do físico Ronaldo Mota, do geneticista Renato Z. Flores e dos biólogos Lenira Sepel e Élgion Loreto, todos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

O livro é dividido em duas partes. A primeira apresenta uma abordagem histórica do método científico, analisando desde as primeiras contribuições dos gregos, passando pelas bases do método científico no Renascimento, o seu amadurecimento (a partir da obra de Newton) até os filósofos da ciência contemporâneos, como Popper, Kuhn e Feyerabend.

A segunda parte utiliza temas contemporâneos para abordar as fronteiras do conhecimento. Para isso, analisa as pseudociências e apresenta conceitos e descobertas recentes nas áreas da genética, evolução e neourociências.

O texto a seguir é o capítulo 5 do livro, escrito pelo geneticista Renato Zamora Flores e é uma importante fonte de informação no debate sobre a fonteira entre o que é e o que não é ciência.

Continuar lendo

Natural não quer dizer seguro

Suplementos de ervas não são regulamentados, tem publicidade exagerada e são potencialmente mortais

O FDA (agência reguladora de medicamentos nos EUA) demoraram mais de dez anos para retirar do mercado produtos para emagrecer a base de plantas contendo efedrina, que causaram centenas de mortes.
Aristolochia ou Jarrinha (à direita) é outro perigoso suplemento de ervas.
(fotos de Valueline e Istockphoto)

Continuar lendo

Neil deGrasse Tysson fala sobre OVNIs e nossa percepção falha

Neil deGrasse Tysson é astrofísico e propagandeador da ciência. Já publiquei várias coisas dele aqui.

Tysson é convidado frequente em programas de entrevista, não só por ser eloquente e articulado, mas por sua profunda pesquisa acadêmica.

Neste vídeo, Tysson responde a uma pergunta sobre se ele acredita ou não em OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados) e ele faz uma apresentação bem humorada sobre como a verdadeira ciência vê esse tipo de coisa.

Veja também outros vídeos com Neil deGrasse Tysson.

Continuar lendo